Sabores da Índia - Home

Símbolos - Ave - Pavo cristatus Linn.

Hindu - More
Telugu - Nemali

O Pavão Indiano, ou Pavão Azul - Pavo cristatus Linn., família das Phasianidae, ordem das Galliformes -, é a Ave Nacional da Índia.
Está espalhado por todo o país, e pelo Sri Lanka, tendo como habitat preferido as florestas de baixa altitude pouco densas, onde deambula, de dia, em procura de alimento, e recorre, à noite, à segurança das copas das árvores mais altas.
No período de procriação, cada pavão reúne um harém de duas a cinco pavoas, cada uma das quais deposita 4 a 8 ovos numa depressão cavada no chão.
O pavão tem um corpo com 0,9 a 1,3 m de comprimento, coberto por penas de um azul esverdeado metálico, com manchas brancas sob os olhos. Tem um pescoço esguio e comprido, a cabeça encimada por uma crista de penas em forma de leque, e uma cauda com 1,5 m de comprimento. A cauda é formada por cerca de 200 longas penas, de um brilhante verde metálico, cada uma delas encimada por um iridescente ‘olho’, bordejado a azul e bronze.
A pavoa é quase tão grande como o pavão, tem o corpo coberto por penas verdes e castanhas, uma cauda curta, e não possui crista.
Sobretudo na época da reprodução, o pavão exibe a sua cauda perante as pavoas, levantando-a e projectando-a para frente, em leque, ao mesmo tempo que a faz vibrar, produzindo um som característico.
Outrora vista como caça, a espécie está hoje amplamente protegida, ao abrigo da Acta de Protecção da Vida Selvagem Indiana, de 1972.
O Pavão Indiano inspirou os motivos centrais do Trono de Pavão do Imperador Moghul Shah Jahan, talvez o mais sumptuoso trono alguma vez feito. Subia-se para ele por degraus de prata, tinha pés em ouro incrustados com pedras preciosas, e as costas incorporavam as caudas de dois pavões abertas, em ouro e esmalte, incrustadas com diamantes – entre eles, provavelmente o Akbar Shah -, rubis, e outras jóias. Fez parte do saque que Nader Shah, da Pérsia, levou quando conquistou Delhi, em 1739. Depois desaparecido – provavelmente desmontado em peças -, as suas reproduções / imitações continuaram a ser um símbolo da realeza do Irão, enquanto ela durou. A reprodução feita durante a dinastia Qajar foi usada nas coroações dos dois Shahs da Dinastia Pahlavi, em 1926 e 1941.
O Pavão Indiano tem dois parentes próximos: o Pavão Verde, ou Pavão de Java - Pavo muticus, da Ásia, e o Pavão do Congo - Afropavo congensis -, de África.
O Pavão Verde habita o Sueste Asiático, desde a Birmânia – actual Myanmar – à Ilha de Java. Com envergadura e cauda semelhantes à do Pavão Indiano, tem o corpo coberto por penas de cor verde-e-bronze.
O Pavão do Congo foi descoberto em 1936, após uma busca despoletada pelo achado de uma única pena, em 1913. O macho tem penas verdes e azuis, e uma cauda curta e redonda. A fêmea é avermelhada e verde, e tem um tufo de penas castanhas na cabeça.

Pavão exibindo a sua cauda

Imagem
Pavus cristatus

 Sabores da Índia - Home