Sabores da Índia - Home

Goa


Mapa - Goa

O estado de Goa, com uma área total de 3702 km2 está situado na costa do Malabar, inclui as Ilhas de Angediva, São Jorge e Morcegos, é limitado a norte pelo estado de Maharashtra, a sul e leste pelo estado de Karnataka, e a oeste pelo Mar Arábico, que lhe proporciona uma linha costeira com 100 km.

O território, que inclui uma porção dos Gates Ocidentais que se eleva a 1200 m, é acidentado e tem como elevações mais relevantes Chandernate, Sydnat, Tuchitemb, Dudsagor, Morpita, Sanso-Gold, Vaguery, Morlém-Gold.
Os rios mais importantes são o Mandovi e o Zuari, seguindo-se-lhes o Arondem ou Tiracol, o Chaporá, o Sal, o Talpona, e o Galgigaba.

Goa foi uma colónia Portuguesa, 'descoberta' em 1499, por Vasco da Gama, e ocupada por Afonso de Albuquerque em 1510, culminando um período de cobiça em que Goa foi vista como a alternativa ideal ao principal centro de operações que os Portugueses detinham na Índia desde 1503: Cochin, no estado de Kerala.

Por volta de 1570, a cidade de Velha Goa era das mais ricas e esplendorosas da Índia, mas a sua imparável decadência começou com a ocupação de Portugal por Espanha, em 1580. Hoje, dela só restam ruínas e alguns templos.

Foi protegida das incursões de navios inimigos pela Praça da Aguada, uma fortaleza erigida na foz do Mandovi, e guarnecida com canhões de grosso calibre dispostos nas ameias viradas ao rio. Mandada construir por Filipe III, rei de Espanha e Portugal, em 1606, quando era Vice-rei da Índia D. Luís Lourenço de Távora, tem dentro uma fonte de água que lhe valeu o nome e ostenta a seguinte inscrição: ‘Reinando o mui católico rei D. Filipe III de Portugal e sendo segunda vez Vice-Rei deste Estado o Conde Almiro, Francisco da Gama, mandou a cidade fazer esta fonte do dinheiro dos mais parcos para nela fazerem aguada as naus deste porto a qual mandaram fazer os vereadores do ano de 1624’. Ao lado do baluarte, o Farol da Aguada que foi activado em 16 de Outubro de 1864, dia de anos da Rainha D. Maria Pia.

A tomada de Goa pelo exército Indiano, em 18 de Dezembro de 1961, pôs fim à presença portuguesa e confirmou o princípio da derrocada do império colonial português iniciada com a ocupação de Dadra e Nagar Haveli em 1954.

Perto de cidade de Velha Goa, também na margem esquerda do Mandovi, no local que começou por ser um subúrbio seu, está Panaji (Panjim, ou Goa Nova), a capital do actual estado. Tem um moderno porto, e alberga os centros de poder e várias estruturas educativas. Perto, em Bambolim, está a Universidade de Goa.

Outras cidades importantes são Madgaon (Margão) e Marmagao (Mormugão). Marmagao, abrigada por um promontório, e dotada de boas facilidades portuárias, é um dos melhores portos da costa Ocidental da Índia. Outros portos: Tiracol, Chaporá ou Margiu, Aguada.

A população é uma mistura de Cristãos e Hindus. Os Cristãos, que outrora falavam maioritariamente Português, hoje falam principalmente Inglês e Konkani (Concani); os Hindus falam Konkani e Marathi.

O estado é predominantemente agrícola, produzindo arroz, fruta, coco, leguminosas, caju, e noz de areca, bens que exporta, a par com especiarias, sal e peixe, bauxite, minérios de ferro e manganésio. A indústria é algo incipiente, mas produz adubos, açúcar, têxteis, químicos, e produtos farmacêuticos.

O Governador do Estado administra também os territórios de Dadra and Nagar Haveli e Daman and Diu.

Área: 3.702 km2

Principais centros: Panaji (a capital), Madgaon, Marmagao, Velha Goa, Caranzalém

 Sabores da Índia - Home