Sabores da Índia - Home

Andhra Pradesh - Hyderabad

 

Hyderabad é a capital do Estado de Andhra Pradesh.

Em pleno Decão, nas margens do Rio Musi, foi fundada, por volta de 1591, por Muhammad Quli Qutb Shahi, o quinto dos Qutb Shahis, sultões de Golkonda, que decidiu fazer dela capital do seu Sultanato, em desfavor da velha cidade fortificada de Golkonda, situada 8 km a oeste. O Sultanato de Golkonda, à época, em termos de poderio, estava para a parte sul da Índia como o Império Moghul estava para o norte.

A cidade desenvolveu-se à volta da mesquita Charminar, um imponente monumento Indo-sarraceno dominado por quatro minaretes, e tornou-se célebre pela sua beleza.

A glória duraria apenas até 1687, ano em que os Moghul conquistaram o Sultanato de Golkonda, destruindo e pilhando o que encontraram pela frente. A conquista não terá sido, provavelmente, obra do acaso, porque foi em Golkonda que foram encontradas várias das jóias do tesouro Moghul.
Na sequência da ocupação, foi nomeado um Vice-rei para governar o território.

Hyderabad viria a tornar-se capital do Principado de Hyderabad com Mir Qamar-ud-Din, intermitente Vice-rei Moghul entre 1713 e 1724, ano em que decidiu proclamar a independência do território e assumir o poder com o título de Asaf Jah Nizam-ul-Mulk, fundando a dinastia dos Nizams de Hyderabad.

Com os novos soberanos, a cidade iria conhecer uma época de reconstrução e expansão, saindo da margem esquerda do Musi, onde nascera, para se alargar para a margem direita. Muitas e novas edificações, reflectindo um estilo misto das arquitecturas Hindu e muçulmana, enriqueceram o património da cidade.

Falecido Asaf Jah Nizam-ul-Mulk, em 1748, a luta pela sua sucessão traria ao palco da história novos protagonistas: franceses e ingleses, recém chegados à Índia, ansiosos por consolidar a sua presença no território.

Os ingleses levariam a melhor quando Nizam 'Ali Khan aceitou a ascendência inglesa, em 1768, pelo Tratado de Masulipatam. Em 1778, os ingleses estabeleceriam um força permanente no território, e o processo de domínio britânico viria a completar-se, em 1798, quando Nizam 'Ali Khan colocou o seu Principado sob protecção inglesa.

Vestígio da presença britânica na capital é Secunderabad, um ex-acantonamento inglês ligado a Hyderabad por um istmo artificial criado no Lago Husain Sagar, e hoje feito passeio público.

Governado pelos Nizams, o Principado de Hyderabad chegaria à libertação da Índia, em 1947, altura em que procurou a via da independência, em vez da integração. Consequentemente, foi ocupado por forças Indianas em 13 de Setembro de 1948, e deixou de existir administrativamente em 1 de Novembro de 1956, sendo o território, por razões linguísticas, repartido pelos estados Indianos de Andhra Pradesh, Karnataka, Maharashtra e Madhya Pradesh.

Hyderabad é um importante centro comercial e industrial, servido por caminho de ferro e ligações aéreas. É sede de vários centros de investigação, das Universidades de Osmania, criada pelo Nizam, em 1918, e de Hyderabad, nascida em 1974, de academias de arte, de organismos científicos, culturais, e históricos, estrangeiros, etc..
Notáveis são o Auditório Ravindra Bharati - um espaço para festivais de dança e música - e o Museu Salar Jung - ponto de exibição de peças de arte únicas.
Diversos parques, jardins zoológico e botânico, os terrenos e passeio público de Secunderabad, são locais de eleição para lazer e desanuviamento.
Entre os monumentos sobressaem as mesquitas Carminar e Mecca, a última com capacidade para 10.000 pessoas.

Rua de Hyderabad
Cortesia David Jones

Cena de rua em Hyderabad

 Sabores da Índia - Home