Sabores da Índia - Home

Símbolos - Rio - Rio Ganga

 

O Ganga tem o estatuto de Rio Nacional da Índia.

Internacionalmente mais conhecido pelo nome anglicizado de Ganges, nasce na vertente sul dos Himalaias, em Uttarakhand, e desagua por um delta na Baía de Bengala, depois de percorrer, em corrente vagarosa, 2.510 km. O delta tem uma largura de cerca de 300 km, mas só um terço dele é território da Índia. O resto pertence ao Bangladesh.

O Ganga drena um quarto do território da Índia, atravessando a Planície do Ganges, coração da área conhecida por Hindustão, e berço de sucessivas civilizações, desde o Império de Ashoka, no século III A.C., até ao Império Moghul, no século XVI.

Os ingleses, depois de, no século XVII, fundarem Calcutá, nas margens do Hooghly, braço do Ganga, foram-se gradualmente apoderando do vale do Ganga, até chegarem a Delhi, em meados do século XIX.

O Ganga foi, desde sempre, o rio mais sagrado dos Hindus.

São vários os locais de peregrinação - tirthas - onde o ritual Hindu do banho no rio reúne milhões de peregrinos anualmente: a confluência do Yamuna com o Ganges, em Allahabad, Varanasi (Benares), Haridwar, e Rishikesh, onde o Ganga sai dos Himalaias Exteriores, são os principais. Também o rio Hooghly, que banha Calcutá, é sagrado.

A dispersão das cinzas dos mortos no Ganga é ritual milenar, que os Hindus crêem dar ascensão directa ao céu dos falecidos. Ghats - templos no cimo de escadarias ribeirinhas – para cremação dos mortos foram construídos em muitos locais das margens.

Peregrinos no ritual do banho no Ganges, em Varanasi

Peregrinos no ritual do banho no Ganges, em Varanasi

 Sabores da Índia - Home