Sabores da Índia - Home

Palmeira do Óleo

 

Especiaria:   

Palmeira do Óleo

Nome da Planta:   

Palmeira do Óleo

Nome Botânico:   

Elaeis guineensis Jacq. (de Nicholaas Jacquin, que primeiro a ilustrou em 1763); Elaeis melanococcana Gaertn.

Género:   

Elaeis

Família:   

Arecaceae

Porte:   

Árvore

Ciclo:   

Vivaz

Origem:   

África central e ocidental

Distribuição:   

Continua abundante na sua região de origem.
Porque se dá bem em toda a zona tropical que se estende 20° de latitude para cima e para baixo do Equador, foi levada para muitas outras regiões.
As migrações humanas espalharam-na pela África.
Foi introduzida em Java, em 1848, pelos holandeses, e na Malásia, em 1910, pelo escocês Scotsman William Sime e pelo banqueiro inglês Henry Darby. Hoje, Malásia e Indonésia rivalizam pelo primeiro lugar mundial na extensão das plantações.
Foi levada por mercadores de escravos para a América do Sul, mas o seu cultivo nessa região só tem expressão no Estado da Baía, no Brasil.
Foi introduzida na Índia, em 1834, no Jardim Botânico de Calcutá, tendo as primeiras plantações surgido em Kerala, em 1930. Essas plantações viriam a ganhar escala comercial na década de 1970.

Partes Usadas:   

 Óleo da Polpa do Fruto

Extraído da polpa do fruto que, à maturidade, mede 4 cm de comprimento e 2 cm de diâmetro, e tem uma cor que varia do laranja carregado ao preto, passando pelo vermelho escuro. A polpa é submetida a calor, para inactivação de enzimas nocivas, e, depois, espremida. Da polpa de 100 kg de frutos extraem-se, em média, 22 kg de óleo que, graças à forte presença de carotenos, tem uma cor que vai do laranja forte ao vermelho.
É um óleo de cozinha típico da África tropical, do Sueste Asiático, e de algumas zonas do Brasil. Na Índia, o seu uso é residual.
Tem, também, diversas aplicações industriais.
No mercado, dá pelos nomes de Óleo de Palma, Óleo Vermelho de Palma, Óleo de Dendem, Azeite de Dendem, etc..

 Òleo do Caroço do Fruto

É extraído, por trituração, e expressão, do caroço do fruto, depois de este ter sido libertado da polpa para extracção do óleo descrito acima. Dos caroços de 100 kg de fruto saem, em média, 1,6 kg de óleo.
O de melhor qualidade tem emprego no fabrico de margarinas, derivados do chocolate, etc.; o menos bom é usado para fazer velas, sabões, glicerina, etc..
No mercado tem, entre outros, os nomes de Óleo de Caroço de Palma, Óleo de Coconote.

Notas:   

Existem diversas variedades da Palmeira do Óleo, com frutos com características diversas e diferentes valores económicos. Só em Angola, por exemplo, existem, pelo menos, as seguintes 10 variedades: var. macrosperma Welw.; var. nigrescens - for. dura (tipo C) longiformis Jans.; var. microsperma Welw.; var. virescens dura - for. breviformis (Tipo B) Jans.; var. virescens dura - for. longiformis (Tipo A) Jans.; var. virescens tenera Jans.; var. nigrescens - for. pisifera (tipo A) Jans.; var. virescens gracilinux A. Chev.; var. albescens Becc.; var. poisonii A. Chev..

Palmeira do Óleo - Frutos quase maduros

Dicionário

 Sabores da Índia - Home