Sabores da Índia Home

Zimbro

 

Especiaria:   

Zimbro

Nome da Planta:   

Zimbro

Nome Botânico:   

Juniperus communis Linn.

Género:   

Juniperus

Família:   

Pinaceae ou Cupressaceae

Porte:   

Arbusto a árvore

Ciclo:   

Vivaz

Origem:   

Regiões montanhosas das zonas temperadas da Europa e da Ásia

Distribuição:   

Continuam a ser espontâneas nas regiões de origem várias variedades da planta.
Entre nós, o Zimbro vulgar aparece em Trás-os-Montes, no Minho, na Serra da Estrela, sendo também cultivado como planta ornamental. Existe também, nas zonas de maior altitude das Serras do Gerês e da Estrela, a variedade Juniperus communis L. - var. nana (Willd.) Parl., o Zimbro Rasteiro, planta rasteira como o nome sugere.
Na Índia, a variedade Juniperus communis Linn. var. saxatillis Palias existe nos Himalaias Ocidentais, do Kumaon - região do Uttarakhand - para ocidente, a altitudes entre os 1700 e os 4200 m.

Partes Usadas:   

 Frutos

Os frutos são glábulas, vulgarmente chamadas ‘bagas’, primeiro verdes, depois azuis escuros, quase pretos, quando, após dois anos, atingem a maturidade no Outono. Têm sabor resinoso, doce-adstringente, mas aromático.
Usam-se frescos, como tempero, mas, em recurso, poderão empregar-se secos, ainda que algum do sabor original se perca.
Normalmente são esmagados antes de serem adicionadas aos cozinhados.
Surgem como condimento por toda a Europa Central, especialmente em pratos de carne das zonas altas: marinadas para javali, faisão, coelho, porco; recheios de pato, peru, galinha, tordos, melros; "patés"; enchidos, cura do presunto, etc..
São utilizados para aromatizar inúmeras bebidas destiladas: Gin, Steinhager (na Alemanha), Geneva (na Holanda), Genebra, Aguardente Zimbrada (Serra da Estrela), etc..
Na Alemanha são tempero frequente da Sauerkraut, e usam-se numa conserva doce-amarga - Latwerge - que acompanha carnes frias.
Na Índia, o seu uso é essencialmente local.

 Óleo Essencial

Além de 33% de açúcares, e 10% de resina, os frutos têm 0,2 a 2% de óleo essencial, essencialmente composto por monoterpenos.
É usado em aromaterapia, e muitas vezes substitui os próprios frutos na aromatização de bebidas destiladas.

Propriedades:   

Os frutos são diuréticos e antissépticos do aparelho urinário, carminativos, digestivos e antiflogísticos.
No passado, sobretudo pelas suas propriedades diuréticas, foram usados em macerações em vinho que tiveram destaque no receituário de farmacopeias antigas: Vin de l'Hotel de Dieu, Vin de Trousseau, Vin de la Charité.

Notas:   

Em Portugal existe, em Trás-os-Montes, e nas Beiras, embora esparsamente, o Zimbro Oxicedro, Cedro de Espanha, Zimbro Galego, Oxicedro, Juniperus oxycedrus L., planta aparentada com o Zimbro vulgar cujos frutos têm o dobro do tamanho, e são vermelhos quando maduros.

Bagas de Zimbro ainda verdes

Dicionário

Sabores da Índia Home