Sabores da Índia - Home

Bombay Duck

Hindu - Sukha Bomil, Bumia
Bengali - Bamaloh, Loita
Gujarati - Bumla
Marathi - Bombil

Peixe com o nome zoológico Harpadon nehereus [Hamilton, 1822], género Harpadon, família Harpadontinae, abundante nas costas dos Estados de Maharashtra e Gujarat, na Índia. Aparece, ainda, em pequenas quantidades, na Baía de Bengala, e, em maior abundância, no Mar da China. Espécie essencialmente marinha, habita águas profundas, ao largo, mas agrupa-se, em grandes cardumes, nos deltas dos rios, durante as monções, à procura de alimento. Predador voraz.
Muito popular nas zonas costeiras onde é frequente, é consumido fresco, frito depois de envolvido num polme, mas mais frequentemente seco, depois de breve preparação, mas também incorporado em pratos com molho condimentado com as especiarias adequadas, em chutnies, etc.. Quando destinado a secagem, o peixe inteiro é lavado, aberto, desossado, salgado, e pendurado a secar, ao sol, em armações de varas de bambu. Depois de seco tem um cheiro muito activo, sendo, por isso, normalmente transportado em contentores fechados, e comercializado e caixas.
Conta-se que o nome Bombay Duck, que sugere uma despropositada relação com 'pato' - duck, em inglês -, terá tido origem durante o Império Britânico. Os europeus suportavam, com dificuldade, o odor do peixe a secar ao sol, que lhes lembrava o cheiro ambiente das carruagens de madeira do comboio correio Mumbai Dak - Bombay Mail, em inglês - , que se tornava bafiento e pesado, durante as monções. Para o cheiro contribuiria, também, o apodrecimento das travessas de madeira da linha. Por assimilação o peixe terá sido baptizado de Bombay-Dak, nome que posteriormente evoluiu para Bombay Duck.

Bombay Duck
Cortesia FAO

 Sabores da Índia - Home























statistics in vBulletin